terça-feira, 11 de outubro de 2016

02/10/2016 - Centenário de Amélio de Azevedo Cruz. HOMENAGEM.

Amélio de Azevedo Cruz. 
(1º Prefeito Constitucional  de Riachuelo/RN - In memórian)


02/10/2016 - Centenário de Amélio de Azevedo Cruz.



HOMENAGEM


1º turno das eleições para prefeito. 
Coincidência mais que apropriada para ele que foi duas vezes prefeito e adorava politica.

Tem pessoas que passam pela vida como quem anda descalça nas areias, sem deixar marcas. 
Tem outras que deixam uma história escrita nas paredes, nas calçadas, nas mentes das pessoas com quem conviveram.
E isso não é mérito de uma nem demérito de outra. 
Dar a um crédito por ser marcante não é motivo para dar a outro débito por ser diáfano. 
Somos todos efêmeros. 
Mesmo a lembrança mais marcante um dia se dissipará quando o último que lembra passar.

Isto ainda não aconteceu com meu avô Amélio de Azevedo Cruz.

Nascido nos tempos dos coronéis nordestinos era um coronel.
Uma personagem de si mesmo: carismático, respeitado e temido.
Firme, conservador, patriarcal.
Amava mais que tudo ser amado; fartura e gratidão.
Todo ele era consciência de si mesmo e isso se irradiava.
Algumas pessoas são tão marcantes que eclipsam todas as demais.
Como ter luz própria quando se orbita em torno do sol?
Ele não tinha filhos preferidos e nem se queria perpetuar através dos filhos. 
Bastava-se. Ele era sua própria ascendência e sua própria descendência. Começava e terminava em si mesmo.

Ser filho de Amélio era aceitar ser para sempre, filho de Amélio. 
E se orgulhar de ser filho de Amélio. 
Referencia? Filho de Amélio, Neto de Amélio, Bisneto de Amélio.
O orgulho é tanto que tem Amélio de Azevedo Cruz filho, neto e bisneto. É um nome popular. E com variantes femininas diversas para lhe prestar a devida homenagem.

Cem anos de Amélio de Azevedo Cruz. 
E ele ainda está brilhando.

Bença pai Amélio.
Não estou capacitada para homenageá-lo.




TEXTO: Geiza de Azevedo Cruz  (Neta de Amélio Azevedo)








Quem foi Amélio Azevedo.

Segundo o escritor riachuelense José Cândido Cavalcante, Seu Amélio foi o primeiro prefeito Constitucional do Município de Riachuelo (1965 a 1969). Eleito diretamente pelo povo, ganhou a eleição junto ao candidato a vice-prefeito, Francisco Fábio de Medeiros (conhecido por Chico Zuza). Dentre os seus feitos construiu o Matadouro Público; a extinta Escola Presidente Kennedy, na sede do Município que era conhecida como “Grupo novo”; outras duas escolas na Zona Rural, em convênio com o MEC; Grupo Senador Dinarte Mariz, em Baixa da Aroeira e Grupo Municipal Dinha Azevedo, em Serra da Melosa. Eletrificou o Distrito de São José do Potengi (mais conhecido como Cachoeira do Sapo); (...) construiu a estrada que liga a BR 304 à divisa do município de Bento Fernandes e adquiriu coleções de livros didáticos para a Biblioteca Pública Municipal. Amélio Azevedo foi um homem profundamente dedicado e preocupado com a Cultura e a Educação do município de Riachuelo.


  • Foi eleito em 5 de janeiro de 1965, tomou posse no dia 31 de janeiro de 1965, governando até 31 de janeiro de 1969. 

  • Em 15 de novembro de 1972 conquistou seu segundo mandato, tomando posse em 31 de janeiro de 1973, e governando até 31 de janeiro de 1977.







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...